sábado, 10 de janeiro de 2009

De férias sim, e daí?

Uma coisa que me incomoda muito nas férias é a sensação de que todo mundo te acha um vagabundo, um privilegiado. Quando estou de férias não gosto muito de dizer que sou professor porque sempre vem aquela coisa assim: "Ah, que beleza hein? Depois querem reclamar de tudo. Qual profissão tem 3 meses de férias?"
Mas é aquela coisa de julgar a escola com o olhar de quem está de fora né? Ou então com o olhar de aluno, que é quando esteve em contato com a escola. As pessoas se esquecem que a nova LDB, desde 1996, mudou o calendário escolar, estabelecendo o mínimo de 200 dias letivos e com isso acabou com aquela história de que o sujeito entrava de férias em dezembro e só retornava a escola em março. Isso acabou. Temos um mês de férias, como todo mundo, em janeiro, e dez dias de recesso em julho. Que privilégio há nisso? As pessoas acham que é fácil enfrentar o cotidiano escolar? Trabalhar em casa feito um zumbi, madrugadas a dentro, finais de semana inteiros, sem ser remunerado? Ah, não me venha com essa de privilegiado não.
Estou de férias sim, e muito merecidas.

5 comentários:

Rodrigo Manhães disse...

Estou neste caso: com duas disciplinas novas para o período que vem, vou passar boa parte das minhas noites de "férias" preparando aulas.

Tutu disse...

Isso só vale para os professores, o mesmo não conta para os servidores administrativos, rs...

Ab

Tutu disse...

Isso so vale para os professores, o mesmo não conta para servidores administrativos, coordenadores e diretores, rs...

Ab

Rodrigo Rosselini disse...

Ah, mas é um trabalho diferente né? Não tem o movimento normal da escola. Acho que o mais difícil não é sair cedo de casa e ir para um trabalho, mas sim o desgaste físico e emocional da sala de aula, além das provas para corrigir, das notas pra fechar, das aulas para preparar, das atividades a planejar, enfim, é o trabalho intelectual somado ao desgaste físico e psicológico que o professor, ponta de lança do processo, sofre diariamente por horas, na maioria das vezes em várias escolas diferentes, várias horas por dia.
Ou seja, quem está agora trabalhando nas matrículas está passando pelo desconforto do verão, de saber que todos estão de férias, etc, mas é diferente do período letivo, sem dúvidas.

Rosângela - discípula aprendendo... disse...

O Bom professor precisaria de 3meses de ferias. Pois um bom professor vive se atualizando, preparando, buscando, comparando coisas... È bem diferente um bom professor de um professor qualquer.
Geralmente o professor é bom professor. Mas percebo que tem muito nó cego que nem merece o salário que ganha. Engana a todo mundo... Faz que ensina.. faz que planeja... faz que faz... mas na verdade... Só a Graça!!!!